COLEÇÃO VOZ DA CRIANÇA

Livro sobre bebês, uma inovação na Centauro

A 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo lançou 4 mil novos títulos esse ano. A Centauro Editora, tradicionalmente conhecida por seus livros didáticos, pela primeira vez em sua história lança um livro numa Bienal. Bebês de mamães mais que perfeitas, primeiro volume de uma coleção de seis, chegou superando todas as expectativas dos editores. "Trabalhamos mais com livros de autores consagrados, a maioria já falecidos ou com livros didáticos, mas como Bebês de mamães mais que perfeitas consegue unir didática à popularidade, por meio de uma linguagem acessível, resolvemos apostar e estamos muito satisfeitos", diz Adalmir, um dos editores da Centauro.

Estande da Centauro minutos antes de começar o lançamento de "Bebês de
Mamães mais que Perfeitas".

Almir, um dos editores da Centauro, atento à movimentação no evento.



Cinqüenta minutos ininterruptos de autógrafos



Várias mães foram com seus bebês, os pais presentes fizeram questão de fotografar.



Os jornalistas Angela Ziroldo, Santiago e Carô conversam com Cláudia e Paulo Hasse.



A confraternização durou até às 18 horas, superando todas as expectativas.



Paulo Gaia e Cláudia: a dupla que ilustrou, diagramou e escreveu o livro.



Any e Adalmir, da Centauro, prestigiam a autora.


Bebês de Mamães mais que Perfeitas

Cláudia Rodrigues

ISBN - 978-85-88208-98-8

192 págs. - Ilustrado - Formato bolso 11 x 21 cm - R$ 20,00

Ao filhote humano, do ponto de vista do seu desenvolvimento, pouco importa se nasceu na África, Oceania, Américas, Ásia, Europa ou Oriente Médio. Para a plena evolução mental e física do bebê o importante é que suas necessidades antropológicas sejam observadas, respeitadas e atendidas pelos adultos que cuidam dele.

A sociedade contemporânea com seu estilo de vida apressado criou uma série de objetos e brinquedos para distrair o bebê, confortá-lo, aquietá-lo e até estimulá-lo; em contrapartida vem esquivando-se de atender algumas demandas fundamentais para o desenvolvimento somático e emocional dos filhotes humanos.

Com uma linguagem acessível e bem-humorada, em que o bebê aparece como sujeito de seu próprio processo, este livro propõe uma reflexão sobre os nossos novos comportamentos sociais e as necessidades atávicas dos pequenos. Mais do que isso, sugere soluções para um meio de campo entre a vida cotidiana apressada dos adultos e a dos bebês em seus estágios primários de desenvolvimento.

Cláudia Rodrigues é jornalista, 

educadora somática e mãe de três filhos.

Foto: Tao - Produção: Gaia